Blog

Home/Blog/Foi o pé dela

Foi o pé dela

Estava eu atento às nobres palavras do expositor quando ela entrou e sentou-se à minha direita. Girei suavemente a cabeça e observei que ela havia sentado um pouco esbaforida. Estava atrasada e sua respiração era alta. Olhava também para o expositor.

Retomei minha atenção, mas coloquei meu braço direito sobre os ombros dela. Ela deixou, mas permaneceu séria, focada. A respiração foi ficando mais suave. Cansaço. Idade.

Nós dois ali, juntos na mesma sintonia espiritual. Queríamos respirar naquele ambiente de paz e boas vibrações depois de uma semana difícil.

A palestra seguia quando meu coração disparou. Ela dobrou a perna direita sobre a perna esquerda. Sentia, pelo contato do meu braço, que balançava. Será que posso ver os pés dela? Estava de sandálias ou sapato fechado

— Esquece isso agora, preste atenção no que está sendo dito!

Era uma voz interna. Superego ou o meu guia espiritual? Sei lá. Tenso fiquei. Quero ver os pés dela, seus dedinhos. Vejo, mas de rabo de olho. Estavam lá. Lindos, com unhas pintadinhas. Vontade imensa de tocar neles, fazer carícias.

Ela percebeu que havia uma paralisia no meu olhar. Não sei como, mas percebeu. Sorriu, ajeitou-se e escondeu-os de mim. Não queria perverter aquele ambiente de energias tão sublimes e sagradas, incentivando meu fetiche. Eu entendi e aquiesci. Razoável que o momento e o lugar não eram adequados.

Ela não fez por mal, mas é o mal que habita em mim. Mal?

Voltei-me para o discurso e olhava rígido para o orador que gesticulava sorridente. Eu nem sabia mais do que se tratava.

MARCIO SALES SARAIVA é sociólogo/cientista político, apaixonado pelas reflexões teológicas, mestre em políticas públicas pelo PPGSS-UERJ e pai de Tatiana, Michel, Gabriela e Isabela. É um democrata de esquerda que defende os ideais de justiça, igualdade e direitos humanos. Milita na defesa de direitos da comunidade queer/LGBT e considera o amor/caridade como caminho sagrado para o encontro com o Divino.
Gostou do artigo?
Assine a newsletter e receba as novidades em primeira mão!

4 respostas para “Foi o pé dela”

Daniela Santos said On 19 maio 2015 Responder

Não há mal nenhum em admirar pés bonitos e bem cuidados. Especialmente se forem os pés da amada.

Marcio Sales Saraiva said On 19 maio 2015 Responder

Sim! Não considero nenhum mal ou patologia e, por isso mesmo, coloco uma pergunta para o leitor: “Mal?”. Obrigado minha amada pelo comentário ;)

Leon Brafeet said On 20 maio 2015 Responder

Concordo com a Daniela. E patologia seria se vc não admirasse mais nada senão a parte, no caso, os pés.
Como grande apreciador e estudioso do assunto, posso garantir que, para as mulheres de mentes mais abertas,
elas não só entendem, como acabam gostando da atenção e carinho dispensados.

Marcio Sales Saraiva said On 20 maio 2015 Responder

É verdade Leon. Eu sinto o mesmo, mas ainda há muito preconceito social em relação aos fetiches humanos. Muitas pessoas nem “curtem” o assunto por medo de se verem associadas ao fetiche, esquecendo-se de que o texto é apenas uma crônica. Obrigado pelo comentário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>